Região

MÉDICO É PRESO ACUSADO DE BATER PONTO SEM TRABALHAR EM ASTORGA

Segundo a denúncia apresentada pelo MP, o médico que é também vereador na cidade de Iguaraçú é funcionário de carreira da prefeitura de Astorga.

Uma ação desencadeada pelo Ministério Público Estadual com a Polícia Civil na cidade de Astorga, culminou na prisão de um médico bastante conhecido em toda a região. De acordo com denúncias feitas ao MP, o doutor Darcí Ricardo Ramos que é funcionário concursado do município, fazia o registro de ponto em seu local de trabalho, ou seja, em uma UPA todos os dias por volta das 8 horas da manhã, mas realizava plantões no hospital particular Cristo Rei no mesmo horário e, só retornava ao pronto socorro do município após o término de seu período de trabalho, por volta das 12:00 hrs, o médico ainda recebia um salário de R$ 4.000,00 (quatro mil reais) por meio dia de trabalho.

Após acatar a denúncia, o promotor de justiça da comarca de Astorga, Dr, Lucílio de Held Júnior, resolveu averiguar de perto a situação. Este por sua vez, se dirigiu até a unidade de pronto atendimento mantida pelo município, afim de averiguar de perto o flagrante.

Vendo que o médico não se encontrava em seu devido local de trabalho, o promotor por sua vez e acompanhado de policiais civis, se deslocou até ao hospital particular, e lá, prendeu o médico em flagrante, sendo possível o médico responder judicialmente nos crimes de estelionato (Art. 171 cód. penal brasileiro), prevaricação (Art. 319 Cod. penal brasileiro) e falsidade ideológica (Art. 299 cod. penal brasileiro).

Após a constatação, o médico foi levado para a delegacia de polícia civil, onde permanece preso até o fechamento desta reportagem, às 17:35 hrs. Nem o município, nem a defesa do médico até o momento não se pronunciou sobre o assunto.

Dr. Darcí Ricardo Ramos atualmente ocupa cargo político, o mesmo é vereador no município de Iguaraçú, ocupando o cargo de segundo secretário.  

O médico já foi vice-prefeito no município, em meados de 2008 e 2012. A câmara de vereadores de Iguaraçú também não se pronunciou sobre o caso.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar